Connect with us

Médico influencer abre o jogo sobre Práticas Sexuais e Fetiches no Instagram

Notícias

Médico influencer abre o jogo sobre Práticas Sexuais e Fetiches no Instagram

Vini virou celebridade no Insta respondendo dúvidas - Arquivo Pessoal

Se você está com medo de abrir o jogo para seu médico, quem pode ajudar a quebrar o gelo é o coloproctologista Vinícius Lacerda, cuja especialização é no estudo das doenças do intestino grosso, do reto e ânus. Mais do que um especialista, o médico é um influenciador que fala abertamente em sua conta no Instagram sobre saúde sexual, no perfil @drvinilacerda. Apesar de o conteúdo ser voltado para a comunidade LGBT+, as dicas valem para todo mundo.

View this post on Instagram

Não me sinto confortável em falar (mentira, me sinto sim), mas temos que expor a verdade para a população ter conhecimento e sempre tomar suas prioridades. Comentem e tirem suas conclusões: O QUE É GOLDEN SHOWER? Um dos assuntos mais comentados do nosso carnaval foi o famoso “Golden Shower”, ou chuva dourada, ou pissing ou water sports. Nada mais é do que uma prática sexual que envolve a urina de alguma forma. Pode ser só um “banho” de urina no parceiro, mas os mais aficcionados também gostam de ingerir ou deixar que urinem em seu ânus ou vagina. E pode isso? Bom, para começar vamos falar um pouco sobre o seu xixi. Ele nada mais é que um ultrafiltrado do seu plasma, que é o líquido que dilui o seu sangue. Portanto, ele é composto basicamente por ÁGUA, mas junto com ela carrega alguns sais, também conhecido como eletrólitos: sódio, potássio e cloro. Em pacientes diabéticos pode conter grandes quantidades de glicose (ou açúcar), mas a urina também carrega consigo algumas toxinas, como a ureia proveniente do metabolismo das proteínas. O álcool e outras drogas também podem ser eliminados no xixi. E com relação às infecções? Em teoria, a não ser que você esteja gravemente doente, ou com algum tipo de infecção urinária, a sua urina possui uma quantidade muito pequena de bactérias, menos até que a sua pele ou a sua saliva. Mas vale lembrar que existem infecções que ocorrem no canal por onde passa seu xixi, como as uretrites causadas pela clamídia ou gonorreia. Portanto, pode haver um risco de contaminação se houver o contato com a mucosa do seu parceiro (garganta, uretra, vagina ou reto), caso haja infecção da uretra. O risco de HIV e outras IST virais nunca foi relatado. Se você curte, não há problema algum em ter o contato da urina de seu parceiro com a sua pele, mas isso só se ele não tiver nenhum IST, como o corrimento pelo pênis. Quando houver a penetração, lembre-se de usar a camisinha. Ah, mas eu posso beber? Aí vale lembrar que a urina é um filtrado com toxinas, portanto se ingerir em excesso pode te fazer mal. Só lembrando: não estamos aqui para fazer julgamentos e sim informar os riscos para quem é adepto de tal prática, TALKEY? #goldenshower

A post shared by Dr. Vinícius Lacerda (@drvinilacerda) on

Vinícius contou a Universa que nunca teve a intenção de construir uma fama online e que a conta é do seu perfil pessoal. “Também criei a página pelo fato de eu ser gay, conhecer a realidade e até ter passado por algumas experiências nas quais não sabia o que procurar e o que fazer”, explica.

View this post on Instagram

Por que algumas pessoas conseguem praticar sexo anal plenos como passivo e algumas pessoas não? Essa definitivamente não é uma pergunta fácil de se responder. Mas existem algumas possíveis explicações para isso. Vamos começar pela anatomia do seu ânus: ele nada mais é do que um músculo circular com a capacidade de se contrair e relaxar como qualquer outro, com o objetivo de promover a continência das fezes. São na verdade duas estruturas musculares: o esfíncter anal externo, de controle voluntário, e o esfíncter anal interno, que não conseguimos controlar conscientemente. Para que a penetração ocorra de forma satisfatória e, de certa forma prazerosa, deve haver o relaxamento dos dois músculos. O esfíncter externo conseguimos relaxar por vontade própria. Já o interno só relaxa de forma inconsciente, assim como ocorre com a ereção do pênis. É necessário estar realmente à vontade com o seu parceiro e considerar alguns fatores para que ele consiga relaxar. Vamos a algumas dicas: – Como qualquer músculo, o esfíncter acaba entrando em fadiga. Isso dura em torno de 1 a 2 minutos. Quando você sente dor, é porque ele ainda está contraindo. Espere algum tempo até prosseguir com a penetração. – Prefira posições com a qual você tenha mais controle da penetração, como sentado por cima ou de lado. Assim você consegue sentir melhor a hora de tentar deixar o pênis entrar mais um pouquinho. – Abuse de lubrificantes próprios pra esse fim e de qualidade. Quando achar que já está bem lubrificado, passe mais um pouco. – Não estimule o seu pênis no momento que o seu parceiro está penetrando a primeira vez. Isso mesmo! A estimulação do pênis faz você contrair seus músculos pélvicos e dificultar a penetração. – Evacue antes do sexo e se higienize bem. Faça a chuca apenas se julgar necessários por sentir que há fezes ressecadas no seu reto. Isso te ajuda a relaxar, mas eventualmente acidentes podem acontecer e não há nada demais nisso. – Jogo e jogo, treino é treino. Brincar com dildos ou consolos sozinho ou com seu parceiro antes da penetração propriamente dita pode facilitar o processo. É isso. Caso persista as dificuldades procure seu médico coloproctologista. #anal #lgbt

A post shared by Dr. Vinícius Lacerda (@drvinilacerda) on

View this post on Instagram

Texto do Urologista @linsleonardo Pessoal, o papo hoje é *dor testicular*! Vamos esclarecer dúvidas do tipo: essa dor que sinto é normal ou não? A dor vem mas melhora sozinha, devo procurar o médico? Devemos ter em mente: 1) dor testicular *súbita* de forte intensidade = procurar *pronto socorro* ! Podemos estar diante das seguintes causas mais frequentes: ❗- uma *torção testicular* (quando o testículo roda lá dentro do escroto): trata-se de caso urgente com necessidade de cirurgia rápida ❗- *orquite* (inflamação no testículo) ou *epididimite* (inflamação no epidídimo – estrutura logo atrás do testículo) cujo tratamento é clínico a base de medicamentos e repouso. ❗- *cálculo renal*: isso mesmo! As pedras quando estão próximas de serem eliminadas na urina podem causar dor com irradiação para os testículos. ❗- *trauma testicular*: dor associada a alguma pancada na região. 2) dor testicular *crônica*, aquela de longa data, geralmente meses e que pode estar associada a muitas causas dentre elas: *hérnia inguinal*, *varicocele* (geralmente dor aos esforços ou carregar peso e associada ou não à infertilidade), *câncer testicular* (principalmente em indivíduos jovens). *Importante procurar o médico para investigação adequada.* Mas calma lá galera! Existem também dores testiculares *sem relação com nenhuma doença específica, por exemplo dor testicular associada a períodos de *abstinência* ou de *aumento na frequência das relações sexuais* . Geralmente essas dores são de resolução espontânea. Ou ocorrem em pessoas que apenas possuem os *testículos mais sensíveis*. Há também dor testicular de *causas comportamentais* por exemplo: 🏳‍🌈 – na prática do *tucking* em mulheres trans, crossdressers, drag queens (tucking: esconder o pênis entre as pernas e os testículos no canal inguinal). No Brasil também é conhecido como “acuendar a neca” rs. – na atividade sadomasoquista do *ballbusting* (indivíduo sente prazer sexual ao levar chutes, socos, pisões, apertões, mordidas no saco escrotal). O mais importante é na dúvida *SEMPRE* procurar o médico! Dr Leonardo Lins (urologista) @linsleonardo @urologiasaoluiz Tel: (11) 5093-0631 (11) 98369-7051

A post shared by Dr. Vinícius Lacerda (@drvinilacerda) on

Comments

More in Notícias

Facebook

Populares

Tags

To Top