Connect with us

Gay revelam seus relacionamentos com Homens Héteros! E não é tudo isso que você pensa…

Notícias

Gay revelam seus relacionamentos com Homens Héteros! E não é tudo isso que você pensa…

Uma novidade fascinante, publicada pela British GQ, aprofunda o tema de pessoas heterossexuais que se relacionam com homens homossexuais e o impacto que tem sobre esses homens.

Claro, os homens heterossexuais que se unem com outros homens não são novidades. Houve pesquisas suficientes para confirmar que muitos caras “heteros” não são tão “heteros” quanto as pessoas possam pensar.

Um estudo publicado na revista Sexualities no mês passado entrevistou 100 homens que se idenficam como heteros e que dizem, sim, às vezes se relacionam com outros caras, mas eles ainda se identificam como heterossexuais.

Depois, havia o  jornal de Tony Silva, da Universidade de Oregon, publicado em dezembro passado, que explorou o fenômeno no “sexo masculino”.

E, é claro, o livro explosivo de Jane Ward sobre pessoas heterossexuais que se entregam a ” broderagem” que de agosto de 2015.

Então, sim, caras heterossexuais que se juntam com outros caras não são novidades.

Mas   artigo de GQ tem uma visão ligeiramente diferente sobre o assunto. Em vez de falar com os caras heterossexuais, eles falaram com os gays que se encontraram enredados nesses relacionamentos complexos, complicados e muitas vezes sem amor.

Um homem chamado James descreveu sua experiência com um homem de identificação heterossexual como “devastador”:

Foi devastador durante o relacionamento e depois. Estar com alguém que não quer aceitar mesmo a possibilidade de serem bissexuais certamente é difícil em um relacionamento, especialmente se eles ainda estão felizes no momento de perseguir com o relacionamento. Quando passávamos o tempo juntos, geralmente no interior, tudo estava feliz. Do lado de fora, haveria momentos: indo para os espaços LGBT e não se sentir confortável; ele conversou com um grupo de meninas quando estávamos no metrô, e ele fazia que não me reconhecia; nem mesmo me apresentou aos seus amigos.

James diz que, eventualmente, a pressão que seu namorado colocou sobre si mesmo para parecer “hetero” foi demais, então ele recuou para seu estilo de vida “heteronormativo”.

Outro homem chamado Robin teve uma experiência semelhante. Ele descreve seu relacionamento universitário com um homem que se identifica como hetero:

Eu costumava visitá-lo com cervejas para a gente ficar se curtindo, conversar, abraçar e geralmente fazer sexo. Em pouco tempo, eu estava encontrando com ele três noites por semana. … O primeiro ano foi quase estritamente dentro do quarto. O tempo todo, no entanto, ele não estava confortável de mãos dadas ou beijando fora do quarto. … Ele tinha 100% de controle sobre as coisas; o código de conduta que nos foi imposto veio dele, não de mim. Ele sempre disse que não era gay, mas também não acreditava na bissexualidade, e ele falou isso muitas vezes ao longo dos anos.

E então há Simon, que primeiro se envolveu com um homem que se dizia Hetero quando tinha 17 anos:

Era puramente sexual para ele, principalmente recebendo oral, mas porque ele era a primeira pessoa que se mostrou interessada em mim, eu me apaixonei. Foi um momento difícil. Ele sempre me dizia que ele não era como eu, e não podia ser, porque ele tinha todo o seu futuro à frente. A idéia de que meu futuro era irrelevante e que admitir que ele estava comigo estaria arruinando ele, me fez sentir inútil e acabei lutando contra a depressão por anos. Os homossexuais não são brinquedos para brincar e jogar fora.

Então, qual a lição temos pra tirar de tudo isso?

Bem, eles dizem que um sábio aprende com os erros dos outros. Portanto, provavelmente é melhor não se envolver emocionalmente com um homem hetero emocionalmente indisponível.

.

.

Comments

More in Notícias

Facebook

Populares

Tags

To Top