Siga-nos

Jovem relata que ele e o namorado foram espancados por Homofobia e ainda sofreram Homofobia na Delegacia em SC

Notícias

Jovem relata que ele e o namorado foram espancados por Homofobia e ainda sofreram Homofobia na Delegacia em SC

Um casal homossexual relatou ter sido agredido na Lagoa da Conceição, em Florianópolis, na tarde do último domingo, 12. O denunciante, que optou por não se identificar, diz que estava com o namorado, de 27 anos, passeando no bairro no momento do ataque. A informação é do G1 de Santa Catarina.

No boletim de ocorrência, o jovem de 21 anos afirmou que, entre socos e pontapés, ouviu do grupo de cinco homens que aquilo iria virar regra. Ele diz que, por conta da semana cheia, escolheu a Lagoa da Conceição para descansar pelo visual e energia proporcionados pelo lugar. “É muito triste pensar que viramos estatística”.

De acordo com o jovem, ele e o namorado estavam em frente a um supermercado. Lá, o casal iniciou uma conversaa com um grupo de pessoas. O jovem diz que embora tenha sido um “papo banal”, em pouco tempo começaram a levar socos. Quando ele viu, seu namorado de 27 anos já estava na chão, desmaiado. Ele acredita que o grupo não “gostou” do jeito do casal.

Ele se considera com trejeitos afeminados. “Não gostaram que estivéssemos namorando. Quando nós acusamos eles de homofobia, já agredidos, eles saíram correndo”, relatou.

O namorado de 27 anos está internado em observação no Hospital Celso Ramos. Ele quebrou o nariz e sofreu uma contusão na perna. O rapaz de 21 anos teve várias agressões no rosto e sofreu pancadas na cabeça.

Na 5ª Delegacia de Polícia da capital, eles relatam ter passado ainda por mais situações de preconceito. O jovem conta que primeiro se negaram a atendê-los. Depois, o policial os chamou para prestar depoimento, ao passo que aumentava o tom de voz. Ele ainda teria sugerido que o rapaz parasse de se vitimizar.

No boletim de ocorrência, embora os dois tenham relatado terem sido vítimas de homofobia, consta apenas lesão corporal contra homem.

O delegado responsável na 5ª Delegacia de Polícia, Alfredo Ballstaedt, afirma que não tem conhecimento do casal ter sofrido preconceito na delegacia, no entanto, diz que está à disposição na delegacia para esclarecimentos e que a prática não é admitida na unidade, independentemente de sexo, cor, orientação religiosa, política ou sexual.

Fonte: OPovo

Imagem relacionada

Por isso que a Delegacia da Mulher foi criada!

De tanto as mulheres reclamarem de sofrerem com o machismo quando tinham que fazer B.O contra violência doméstica!

E por isso que eu falo que as ONGs Gays que realizam as Paradas deveriam parar com temas nada a ver e fixar em apenas um tema – Lei que criminalize a Homofobia!

 

 

 

Comentários

Mais sobre Notícias

Facebook

Populares

Tags

UA-92644359-1
Topo